sábado, junho 30, 2012

sexta-feira, junho 15, 2012

"Quero bem a todos os portugueses, mesmo àqueles que me fizeram mal."
D. Amélia (Ultima Rainha de Portugal)

quarta-feira, junho 13, 2012

Credi nell'amore a prima vista?

Olhei e voltei a olhar
Não queria acreditar.
Tu eras aquela
Por quem tanto procurei.
Encantas-te me no primeiro olhar
Não sei como foi
Mas não parei
Olhei para ti toda a noite
Olho para ti todos os dias.

segunda-feira, junho 11, 2012

Maria Keil

Vou ser sincero não conhecia esta Senhora, apesar de ter convivido com algumas das obras dela, foi ela quem desenhou alguns dos azulejos do Metropolitano de Lisboa. Nasceu em Silves em 1914 e morreu à poucos dias em Lisboa com 97 anos. Hoje enquanto lia as noticias no site do Expresso vejo que existe uma noticia com uma entrevista que ela deu à algum tempo. Fiquei bastante impressionado, pela positiva, por algumas coisas que ela disse, e decidi partilhar aqui algumas das frases com que mais me impressionei, caso queiram ler a entrevista completa é só clicar aqui.

"Aquilo era tão extraordinário, tão revolucionário, que o Salazar fechou as fábricas todas. (...) Fecharam as fábricas e foi uma miséria. Era uma terra rica." sobre Silves

"Não tenho jeito nenhum para conviver com as pessoas. É uma desgraça. Vivo sozinha. Às vezes apetece-me ir à rua, mas não vou. As pedras da calçada são sempre as mesmas. Chego à porta e estão lá as mesmas coisas todos os dias. Não muda nada."

"(...) não há convívio sem comida. (...) Talvez esta seja uma civilização da comida"

"Ou sinto, ou vejo, mas explicar, é muito difícil para mim. Sei perceber, mas não sei explicar." sobre o facto de poder vir a dar aulas

"Dantes havia uns cafezinhos no Chiado, onde podíamos estar a tarde toda com um cafezinho e a conversar. Faziam-se grandes tertúlias. Havia a Brasileira, (...). Não punham ninguém na rua. (...) Discutíamos tudo, o mundo todo."

"Costuma dizer-se que a arte cultiva-se. No dia em que a terra estiver coberta de searas de arte, os frutos e o pão vão saber a tinta."

"Não tenho nenhum prazer em pintar. Desenhar sim. Nem sempre gosto de ver um quadro numa parede, porque por vezes gosto muito mais de uma bonita parede. Há paredes tão bonitas."

"Foi uma boa experiência. Éramos 12 mulheres fechadas numa cela. Fartámo-nos de trabalhar." sobre o facto de ter estado presa

"Era importante participar, porque tudo naquele tempo fazia revolta. Aquele tempo estava estragado. Os novos de hoje não podem imaginar como é que foi. Há coisas escritas, mas viver aquele tempo, era diferente." sobre a ditadura

"Então comecei a dar atenção e vi que aquilo não era para acreditar." sobre a catequese

"(...) não fazer nada que ofenda ou magoe os outros e ter uma atitude absolutamente limpa para lidar com as outras pessoas, sejam boas ou más. Ter um respeito total por mim." regra que ela adoptou para a sua vida

"Eu só via o que se avistava da janela, que por acaso era um sítio de passagem. Era uma coisa linda. Era fantástico. Tive tanta pena de não poder ir para a rua." sobre o 25 de Abril

"Deram-me um bilhete de avião e eu troquei por um de comboio, do InterRail."

"O Mundo é deslumbrante, mas não é bonito."

domingo, junho 10, 2012

Dia de Portugal

"Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem (se algum houve) as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já coberto foi de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto,
Que não se muda já como soía."
Luíz Vaz de Camões 

Hoje é dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. Hoje é o dia em que podemos mostrar que temos ainda algum amor pela nossa pátria, pelo nosso passado e confiança num futuro melhor. Portugal já viu melhores dias, mas também já vivemos dias bem piores. Actualmente queixa-se muito e fazê-se pouco, antigamente queixa-se muito e fizemos muito. Deixamos as nossas terras e partimos à descoberta de um Novo Mundo, começamos com a globalização, trouxemos nova vida a uma Europa velha e caída nas trevas da Idade Média. Deixamos a nossa marca em muitos pontos do Globo. A Língua de Camões é falada por mais de 250 milhões de pessoas, fazendo do Português a sexta língua mais falada no mundo.
Como é que durante um tempo tivemos um grande império, e agora somos um país pequeno!? Talvez foram as más politicas, talvez fosse o destino, talvez fosse o facto de sermos fracos, talvez fosse o facto de não nos sabermos impor, talvez foi culpa do povo português. Mas isso tudo é passado, passado que não se pode mudar, passado que viverá para sempre connosco seja mau ou bom. O que nos devemos preocupar agora é viver o presente e tornar o futuro melhor.
Estamos em crise, mas já vivemos muitas, talvez piores, os nossos avós/pais viveram tempos muito piores do que nós, e no entanto sobreviveram e estão aqui, eles souberam lutar pelo seu futuro, eles souberam trabalhar, eles souberam fazer crescer um país.
Está na hora de deixarmos o pessimismo de lado, está na hora de lutar, trabalhar, e deixar de reclamar. Há coisas que estão mal e só vão ao sitio com trabalho. Há coisas que estão bem e que merecem ser mostradas. Não vejam só o lado negativo de Portugal. Somos um país tão pequeno, mas com tantas coisas, tantas oportunidades, temos que nos fazer ver novamente ao Mundo, Portugal não está morto, está bem vivo, mas precisa de vocês Portugueses. Um País não se constrói sem um povo, um país não vai para a frente se o povo não quiser.
Não é só nestes dias que devemos mostrar amor pela pátria, não é porque somos mal governados que temos que virar as costas ao país que nos viu nascer e crescer. O Povo Português precisa de gostar mais de si próprio, precisa de gostar mais da sua Terra. Juntos podemos seguir em frente, podemos voltar a ser grandes, poderemos voltar a ser respeitados, só precisamos que nos respeitemos primeiro.

quinta-feira, junho 07, 2012

Há coisas...

Há coisas que não mudam
Não adianta correr ou fugir
O que tem de ser acontecerá
Cá ou lá tanto faz
O destino está traçado
Só nos resta vive-lo
E aproveita-lo da melhor maneira.

terça-feira, junho 05, 2012

World Environment Day


  

Porque ainda temos muito que aprender, e as crianças são prova disso. Esta menina fez um discurso na ECO92 que calou todos os presentes na sala. Passados 20 anos continuamos na mesma, sem fazer nada, cada dia que passa é menos uma oportunidade para salvar a terra onde nascemos.
É preciso passar das palavras à acção, senão em que mundo viverão as próximas gerações!?

Dia 5 de Junho - Dia Mundial do Ambiente